sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Brejão – Mãe Coruja e o Município discutem sobre a Microcefalia


O Canto Mãe Coruja de Brejão realizou no dia 25 de janeiro uma reunião com Coordenação da Atenção Básica , Vigilância Epidemiológica e Regulação para discussão as estratégias de orientações aos profissionais de saúde e a população sobre a Microcefalia. Saber-se microcefalia é uma condição rara em que o bebê nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. A microcefalia é diagnosticada quando o perímetro da cabeça é igual ou menor do que 32 cm – o esperado é que bebês nascidos após nove meses de gestação tenham pelo menos 34 cm , desta forma a reunião objetivando intensificar a busca ativa através das visitas domiciliares às crianças com perímetro cefálico menor ou igual a 32 cm, apesar do município não ter notificação de nenhum caso de Microcefalia. Nessa reunião foi discutido o Protocolo Clinico e Epidemiológico da Microcefalia e a orientações sobre os fluxos necessários caso seja notificado alguma criança no município. 


Matéria: Profissional do Canto – Celia de Oliveira e Michelle Karine





Terezinha - Atento ao acompanhamento Puerperal e de casos suspeitos de Microcefalia.




A Puericultura é da maior importância para a saúde da criança. O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, do nascimento até os 5 anos de idade, é de fundamental importância para a promoção à saúde da criança e prevenção de agravos, identificando situações de risco e buscando atuar de forma precoce nas intercorrências.

Tendo em vista a grave situação do aumento significativo dos casos de microcefalia em Pernambuco,o Canto em parceria com o Município realizou visita domiciliar a puérpera para acompanhar o Recém Nascido na visita puerperal, juntamente com a enfermeira do PSF. Foi realizada no ato da visita a medição do Perímetro Cefálico para reavaliar as medidas fornecidas no parto, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde e observado o Cartão da Criança. A mãe foi orientada da importância do acompanhamento principalmente no primeiro ano de vida, como também manter a vacinação em dia.

No Munícipio de Terezinha até o momento foram notificados 2 casos suspeitos de microcefalia, os mesmos foram descartados após avaliação no Hospital de referência,sua notificações e deu a partir da consulta puerperal, realizada pelas equipes de saúde do Município, desta forma as equipes juntamente com o Canto Mãe Coruja priorizam que a realização da primeira visita seja nos 7 primeiros dias de puerpério como preconizado pelo MS, para intervir de forma correta e eficaz em possíveis casos suspeitos de microcefalia no Município.



Matéria: Profissionais do Canto Mãe Coruja em Terezinha – Alexsandra Valença e Mirella Godoy.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Jupi já conta com 1.176 mães corujas


O Programa Mãe Coruja Pernambucana foi implantado no município de Jupi em novembro de 2009. Desde então, foram cadastradas e acompanhadas 1.176 gestações.

Mulheres guerreiras, leoas valentes, lutadoras incessantes chegam ao Canto Mãe Coruja ano após ano trazendo a doçura da maternidade guardada em seus ventres acolhedores que guardam novos seres até que venham ao mundo, pequeninos e indefesos, para serem assim como suas mães, cuidados carinhosamente pelo programa após o nascimento.

O Canto Mãe Coruja Jupi construiu simbolicamente o retrato dessas mães corujas e seus filhotes através de uma linha do tempo com as primeiras gestantes cadastradas em cada ano.



Cada uma dessas mães carregam histórias de lutas e conquistas, mas o que elas têm em comum é o cuidado e acolhimento encontrados no Programa Mãe Coruja que empodera e fortalece cada família por elas estruturada. Que perdure cada sorriso singelo encontrado em suas faces e que o Canto Mãe Coruja possa continuar fazendo parte de suas histórias de vida.


Matéria: Profissionais do Mãe Coruja em Jupi

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Joaquim Nabuco - Mãe Coruja no Dia D contra o Aedes aegypti




O Canto Mãe Coruja, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, realizou, no dia 21 de janeiro de 2016, o evento Dia D contra o mosquito Aedes aegypti. A ação contou com a participação das mulheres e técnicas do Canto Mãe Coruja e com equipes multidisciplinares da atenção básica.

Foram ofertados para todos os participantes aferição de PA, houve distribuição de hipoclorito, sorteio de blusas U.V. de mangas compridas e repelentes para as gestantes do canto, realização de USG’s durante o evento para as gestantes e, além disso, ocorreram palestras educativas sobre como evitar os focos do mosquito e a diferença entre Dengue, Chinkungunya, Zika vírus e microcefalia.

O encerramento do evento contou com uma caminhada contra o mosquito pelas principais ruas do município.





Matéria: Profissionais do Mãe Coruja  em Joaquim Nabuco -  Eliane Dias da Silva e Shirley Uchoa e a Secretaria Municipal de Saúde, Atenção à Saúde



Jaqueira - Palestra alerta para doenças causadas pelo Aedes aegypti
















O Canto Mãe Coruja, em Jaqueira, participou no último dia 20, de evento realizado pela Secretária de Saúde e IDESNE, onde promoveu-se uma palestra voltada às gestantes do município sobre a prevenção e alerta das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti.

No momento, foi ofertado para as gestantes, além do conhecimento, exames de ultrassonografia, sorteio de banheiras, roupinhas, fraldas e também repelente. As gestantes tomaram vacinas que estavam em atraso e outras começaram a serem vacinadas.



Matéria: Profissionais do Canto Mãe Coruja em Jaqueira - Ana Paula Barbosa, Carla Cardinalle B. da Silva

Palmeirina - Mãe Coruja e município em passeata no combater o Aedes Aegypti





Na manhã do dia 22 deste mês, o Canto Mãe Coruja, em Palmeirina, integrado com as secretarias de Saúde e da Mulher realizou passeata de conscientização no combate ao mosquito Aedes aegypti.

Com a epidemia de doenças causadas pelo Aedes, que está ocorrendo em todo território brasileiro, e com um quantitativo muito alto de casos em Pernambuco, Palmeirina vem acompanhando registros de Dengue, Zyka e Chikungunya junto com a Secretaria Municipal de Saúde.

O Canto Mãe Coruja, com o apoio dos agentes de saúde, levou de porta a porta informações sobre o mosquito e orientações sobre como evitá-lo. De acordo com o Ministério da Saúde, a principal ação de combate ao mosquito se dá ao evitar sua reprodução. O Aedes aegypti se prolifera nos locais onde se acumula água. Por isso, é importante não deixar recipientes expostos à chuva, além de tampar reservatórios e caixas d’agua. Recomenda-se também a instalação de telas de proteção em janelas e portas e o uso de repelentes.

Vale ressaltar que Palmeirina felizmente não teve registros de casos de crianças com microcefalia. O Canto Mãe Coruja tem realizado um trabalho de prevenção contra o mosquito com suas grávidas sempre passando informações para que elas tomem as medidas adequadas.





Matéria: Profissional do Mãe Coruja em Palmeirina - Maria Sueli Pimentel de Santana

Afrânio - Mãe Coruja e município em ação contra o Aedes aegypti







Com o objetivo de orientar e fortalecer as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, Chikungunya, e Zyka, o canto Mãe Coruja em Afrânio, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, realizou em 19 deste mês, importante palestra com o tema “O combate começa por você!”, ministrada pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde.

Durante a realização do evento as mães receberam informações sobre como funciona o ciclo biológico do mosquito, como o Aedes é transmitido, sintomas, soluções de combate ao foco e informações relevantes para impedir a propagação do mosquito.

Além da palestra, houve dinâmicas educativas com a participação das mulheres onde foram respondidas questões a respeito do Aedes. É notório o fato de que as mães saíram do evento mais esclarecidas. Por fim, teve a distribuição materiais informativos relacionados ao mosquito, a exemplo de panfletos.

.

Matéria: Profissionais do Canto Mãe Coruja em Afrânia -  Raimunda dos Humildes R. Macedo, Gicélia Maria dos Santos



quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Bom Conselho - Mãe Coruja e município discutem estratégias sobre a Microcefalia





O Canto mãe coruja de Bom Conselho realizou na tarde do dia11.01.2015 às 14:00h uma reunião com a Coordenação da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica para discussão dos casos de Microcefalia objetivando intensificar a busca ativa através das visitas domiciliares as crianças com perímetro cefálico menor ou igual a 32 cm. Assim diante desses achados realizar o mais precocemente a notificação efetiva e encaminha-las urgentemente para a referência. Na ocasião definimos o fluxo e orientações necessárias quanto a precisão do diagnóstico feito na referência por profissional habilitado, tentar oferecer assistência imediata e necessárias às crianças e famílias atingidas por esse agravo, bem como a vigilância permanente das gestantes e dos recém- nascidos com microcefalia. 

Em virtude da mudança no padrão de ocorrência dessa alteração congênita, com elevação da quantidade de casos em comparação aos anos anteriores faz-se necessária uma interação maior dos diversos setores envolvidos para que juntos possamos adotar medidas de prevenção e controle em tempo hábil a essas famílias.

Sabemos que o aumento atual desta ocorrência pode ser explicado por diversos motivos, tanto por infecções congênitas, quanto por outras causas não infecciosas especialmente no primeiro trimestre da gravidez, período crucial para o desenvolvimento do cérebro do bebê.

Autoras: Profissionais do mãe Coruja em Bom Conselho - Irabele Guedes de Oliveira, Karla Oliveira Ramos de Souza.


Vertentes - Palestra para as Mães Corujas sobre Aedes Aegypti





Diante do cenário pernambucano em relação à propagação das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e suas consequências, o Canto Mãe Coruja promoveu palestra em Vertentes sobre o ciclo do mosquito e a importância do combate a esse ciclo. A iniciativa, que ocorreu na última terça-feira, nocolégio municipal Ivan Maurício, contou com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde, além da Coordenação de Vigilância da IV Regional de Saúde e a Coordenação de Regulação, assim como as redes de saúde locais. 

Palestrou o técnico Efraim Naftalli, coordenador da Vigilância Sanitária na IV Regional de Saúde. A importância no combate ao mosquito transmissor de Dengue, Zyka Vírus e Chikungunya foi o tema central da abordagem. O técnico chamou atenção para os sintomas, períodos de transmissão, o aumento da microcefalia e o protocolo da identificação.

Também esteve presente no evento o técnico André Coimbra, do setor de Regulação da IV Geres, que esclareceu sobre os casos de microcefalia na região, orientando sobre os serviços disponíveis para o amparo dos casos confirmados e suspeitos da doença. Coimbra apontou o Hospital Mestre Vitalino como sendo de referência na área e alertou para a importância dos encaminhamentos e a notificação no Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS-PE) pelos profissionais do setor.



Matéria ; Profissionais do Mãe Coruja em Vertentes